Mês: Janeiro 2017

Sergio Cortes reporta cuidados cotidianos com joelho

A sobrecarga em exercícios físicos é um dos motivos mais recorrentes para as lesões nos joelhos, apontam os especialistas em ortopedia. Orientação de um profissional ao praticar atividades físicas, é indispensável para evitar lesões nas articulações. O médico ortopedista Sergio Cortes reporta sobre o assunto.
É preciso ressaltar que o joelho está sempre sujeito a lesões, tamanha é a sua importância no funcionamento do corpo humano, muito por conta da ideia de sustentação de nosso peso.

 

Portanto, médicos como Sergio Cortes evidenciam o conceito de cuidar bem do joelho, principalmente em exercícios que exijam muito dos membros inferiores.
Uma das maiores dicas para evitar a chamada sobrecarga nos joelhos é distribuir corretamente o esforço entre as diversas articulações que participam do processo. O ortopedista Sergio Cortes noticia que é fundamental estimular as musculaturas envolvidas na sustentação do corpo, como das pernas, do quadril, do abdômen e da lombar, não deixando a tarefa apenas para o joelho.
De acordo com os especialistas, o principal sintoma da articulação estar sofrendo com a sobrecarga é a dor, ela está associada principalmente à ideia de defesa do corpo, uma vez que este emite sinais ao cérebro através de células mecanorreceptoras, avisando que está sendo exigindo de forma demasiada. Logo, a recomendação é não realizar qualquer tipo de exercício físico com dores no joelho.
Sergio Cortes reporta ainda, que além da sobrecarga durante a musculação outras atividades cotidianas mais simples podem estar sobrecarregando os joelhos sem que o indivíduo se dê conta. Veja abaixo algumas situações e o que fazer para evitar prejudicar a articulação:
No escritório
Uma situação comum da rotina das pessoas que trabalham em escritórios é passar muitas horas seguidas sentadas com o joelho dobrado na mesma posição. Neste caso, a pessoa pode mesmo sentada, esticar e flexionar as pernas para que a articulação seja lubrificada, através do liquido sinovial.

Sapatos altos

 

Para quem costuma usar salto alto, sapatos sem salto como sapatilhas e as chamadas “rasteirinhas” logo após um dia todo sobre um sapato de salto alto, também pode ser prejudicial aos joelhos, dado a mudança drástica de postura que essa troca repentina pode gerar.

Tênis para corrida
Sergio Cortes noticia que tênis com muitos amortecedores podem dar a falsa sensação de segurança para os joelhos, mas especialistas alertam que o impacto também tem sua função, uma vez que fortalece os ossos e previne a osteoporose. Por tanto, prefira os modelos de tênis com um pouco amortecimento.

 

Andar de bicicleta

 

Para os que gostam de andar de bicicleta por diversão, meio de transporte ou na pratica da atividade em academias, devem se atentar a postura correta. A altura do banco deve ser ajustada conforme a altura de cada um. A pessoa deve se posicionar ao lado da bicicleta e regular o banco na altura para que fique na mesma altura do osso do quadril, isso evita com que as pernas fiquem muito dobradas ou hiperestendidas.
O joelho é uma articulação muito importante para mobilidade do corpo humano. Movimentos realizados de maneira incorreta, postura inadequada e a ausência de intervalos durantes as séries de treinamento podem causar diferentes tipos de lesões, por tanto, evite a sobrecarga buscando sempre orientação profissional na pratica de exercícios físicos e fique atendo às dores, caso apareçam.

 

Fonte

Irmãs perversas: A diferença de artrite e artrose segundo reporta Sergio Cortes

Você acorda em um belo domingo de manhã e observa ao lado de fora da janela o sol batendo perenemente sobre a cortina. A primeira coisa que faz ao acordar é dar aquela espreguiçada gostosa, em uma espécie de ritual diário. Mas algo aconteceu naquele dia, e um hábito tão solene se transforma em um pesadelo. Você estranha aquela dor incômoda nos ombros, especificamente nas articulações, porém ignora achando que não passa de um mal jeito. Ao abrir as cortinas para sentir os raios solares invadindo o quarto, novamente um puxão estranho, mas dessa vez entre os dedos da mão. E esse mesmo cenário começa a se repetir algumas vezes, de maneira espaçada, durante o seu dia. Com o passar do tempo, dores incômodas que antes eram somente na parte superior do corpo começam invadir os membros inferiores. Joelhos e tornozelos já não apresentam o mesmo rendimento, e qualquer esforço, por menor que seja, causa aquela mesma dor persistente que tanto o preocupa. Sem pestanejar, consulta um médico ortopedista e o diagnóstico: Artrite, com suspeita de Artrose. E agora? Qual a diferença entre os dois?

O Dr. Sergio Cortes, médico ortopedista, reporta como diferenciar a Artrite de sua irmã Artrose de um jeito simples e fácil de entender.

Antes de aprender o bê-á-bá das duas doenças, é preciso primeiramente saber o que é uma articulação. Articulação, segundo noticia o Dr. Sergio Cortes, se refere a “liga” entre dois ossos. É uma espécie de amortecedor interno.

Ex. Entre o ombro e o braço, existe uma camada protetora que impede os ossos de entrarem em atrito. Essa camada, composta de cartilagens e um líquido espesso, é chamada de articulação. Em nosso crânio também existem articulações, porém são compostas de um material diferente dos braços ou cotovelos. O material entre os ossos do crânio é composto de uma espécie de cola fibrosa, que os mantém fixos cada um no seu lugar.

O meio termo está na coluna: Entre as vértebras, encontram-se cartilagens não tão flexíveis como as dos braços e afins, como também não tão fibrosas como as do crânio. Elas permitem uma determinada flutuação, na medida certa!

Dados os fatos, o Doutor Sergio Cortes reporta que, a artrite, refere-se a inflamação dessa região tão importante para o movimento do corpo humano: A articulação. A raiz, ou causa do problema pode ter N motivos. Traumas em geral, esforço, movimento repetitivo, infecção por fatores externos, doença auto imune ou até mesmo a própria artrose, pode contribuir para que a artrite se desenvolva.

No caso da artrite, se for diagnosticada em seu estágio inicial e dependendo da causa do desenvolvimento da doença, ela pode se regenerar. Ainda há esperança.

Quanto a artrose, o processo é um pouco mais complicado. Enquanto a artrite é apenas uma inflamação da articulação, a artrose é o desgaste dela. Geralmente, a artrose é diagnosticada em pacientes de mais idade. O processo de envelhecimento do corpo humano, incluindo as articulações, resultam em uma espécie de destruição das células. As cartilagens acabam por se desgastar e se auto destruir aos poucos. Infelizmente esse processo não tem cura, mas os sintomas podem ser aliviados.

A artrose não acomete apenas pacientes da terceira idade. A artrite pode aos poucos evoluir para um quadro de artrose e provocar danos em pacientes de qualquer idade.

Outros fatores podem contribuir para o aparecimento da artrose. Segundo o Dr. Sergio Cortes informa, obesidade, fatores genéticos entre outros, pode resultar no aparecimento da doença precocemente. A partir do diagnóstico, o paciente segue algumas instruções médicas, que incluem fisioterapia, medicamentos receitados, ou em casos mais graves, a cirurgia para a reconstrução total das cartilagens afetadas.

Como cada caso é um caso, o Dr. Sergio Cortes recorda a importância de consultar um médico ortopedista assim que aparecerem os primeiros sintomas. Bons hábitos de saúde como: tomar bastante água, fazer uma reeducação alimentar e a prática de exercícios físicos sob os olhos vigilantes de um profissional capacitado, também podem contribuir para o alívio dos sintomas da doença das “irmãs malvadas” – artrite e artrose.

 

Fonte

 

Dor nas costas? Saiba o que você pode estar fazendo de errado.

A dor nas costas é a queixa mais frequente dos consultórios de ortopedia. A maior parte das pessoas já experimentou esse tipo de problema, ainda que frequentemente não seja constatada a necessidade de apoio médico. Nesse artigo, o ortopedista Sergio Cortes reportará os principais motivos dessas dores, para que você possa evita-los.

São muitos os tipos de dorsalgias (dores nas costas). A cervicalgia ocorre quando a dor é localizada na parte posterior da nuca, relata o Dr. Sergio Cortes. Quando aguda, é conhecida popularmente como torcicolo e na maioria das vezes é causada por uma noite mal dormida. Nos casos em que ela permanece por longos períodos, é necessário buscar apoio médico. A Lombalgia afeta a parte inferior da coluna e frequentemente está relacionada ao carregamento de peso. Quando o paciente apresenta acometimento do nervo ciático, ele pode sentir uma dor na parte inferior da coluna que irradia para a perna. Desvios de postura, como a cifose (desvio da coluna para frente) e a escoliose (desvio lateral) também podem causar dor. Grande parte dos problemas dorsais estão relacionados à musculatura.

O aumento do peso corporal pode ser o motivo do problema, lembra o Dr. Sergio Cortes. Uma vez que existe mais massa sobre a coluna, ela pode ser comprimida e ativar as terminações nervosas da região. Além disso, o acréscimo do volume também está relacionado aos desvios posturais e as hérnias de disco.

O sedentarismo, além de estar associado ao ganho de peso, é uma das principais causas de dorsalgia. Quando a musculatura não é devidamente trabalhada, ela se torna incapaz de manter a coluna vertebral na posição adequada, causando dores. O sedentarismo também está associado a manutenção do corpo em uma mesma postura por longos períodos, o que também aumenta o problema.

Mas mesmo aqueles que praticam atividades físicas com frequência devem tomar cuidado, recorda o médico ortopedista Sergio Cortes. Caso essas atividades sejam realizadas com uma má postura, as dores poderão aparecer.

Ainda que sejam jovens, os estudantes também estão sujeitos à dorsalgia. Como eles carregam mochilas e muitas vezes elas não estão dentro das recomendações, eles desenvolvem problemas posturais. Para evita-los, é preciso que o peso das bolsas represente no máximo 10% do peso corporal do aluno. Além disso, a largura das mochilas não pode ultrapassar a largura do tronco e sua altura deve ser inferior à altura dos ombros. Bolsas que se ligam tanto nos dois ombros como na cintura são recomendadas, pois ajudam na distribuição do peso.

Na hora de dormir, também é preciso precaução. Os colchões e os travesseiros devem estar em boas condições, reporta o Dr. Sergio Cortes. Até mesmo os sofás e poltronas não podem estar muito gastos, já que eles afundam e afetam a postura.

Pessoas que dirigem por longos períodos podem encontrar problemas caso o veículo não esteja em perfeitas condições. Pedais e embreagem muito duros podem desencadear as dores.

O banco do carro também deve ser verificado periodicamente, uma vez que sua deterioração pode resultar em má postura corporal.