Comer muita gordura dá câncer? Sergio Cortes esclarece o assunto

A gordura é um alimento tipicamente relacionado com várias doenças, sobretudo com aquelas que prejudicam o sistema cardiovascular. Recentemente, um grupo de pesquisadores liderados por Semir Beyaz, do MIT(Instituto de Tecnologia de Massachusetts), parece ter esclarecido o mecanismo biológico que relaciona a ingestão de comidas gordurosas com o câncer de intestino, alertando mais uma vez para os perigos da ingestão excessiva de lipídios. Segundo o médico Sergio Cortes, tal associação se relaciona com as células tronco do intestino.

Células tronco são um tipo de célula com alta capacidade de diferenciação. Elas apresentam potencial de se transformar em uma grande variedade de modelos e assumir diferentes funções. São células típicas dos períodos iniciais do desenvolvimento humano, quando as partes do corpo são formadas a partir de um grupo homogêneo de células, informa Sergio Cortes. No intestino, existem as células tronco intestinais, com suas características próprias. As células tronco intestinais funcionam como um estoque para eventuais lesões e para os danos recorrentes do cotidiano, geralmente de pequenas dimensões. A depender da área que foi lesada do intestino, elas se transformam e substituem a célula morta, evitando prejuízos no local. Porém, a multiplicação excessiva dessas células pode ser nociva, pois elas também podem originar cânceres.

De acordo com a pesquisa comandada por Semir Beyaz, do altamente respeitado MIT, a gordura é capaz de induzir a multiplicação das células tronco intestinais, noticia Sergio Cortes. Aumentando muito em número, elas poderiam desencadear processos cancerígenos, pois o fato de não apresentarem uma forma já definida facilita que se transformem em células cancerosas. A investigação foi realizada a partir do análise de dois grupos de ratos. Um deles foi alimentado com grande quantidade de gorduras, enquanto que o outro foi nutrido com uma dieta balanceada, relata Sergio Cortes. Análises posteriores indicaram um aumento no número de células tronco intestinais, que possivelmente se relacionam com os tumores do intestino. As pesquisas também mostraram a dimensão molecular desse processo.

Uma molécula chamada PPAR – Delta parece ser liberada com maior intensidade na presença de gordura, potencializando a produção das células tronco intestinais. Tal ação se daria porque a PPAR – Delta ativa determinados segmento de DNA responsáveis pela multiplicação celular, assim levando ao crescimento da população dessas células. O conhecimento desse mecanismo pode ser bastante promissor para a população, principalmente no que diz respeito a busca de terapias novas, já que essas células podem ser alvo de intervenções alimentares e farmacológicas bastante precisas.

As pesquisas de Semir Beyaz, do MIT, mostraram que uma alimentação excessivamente gordurosa intensifica a multiplicação das células tronco intestinais. Essas, quando estão em grande número, podem desencadear processos cancerígenos, sobretudo devido ao seu potencial de se transformar em uma grande variedade de tipos celulares. As pesquisas foram realizadas em ratos, que ingeriram uma alimentação gordurosa e posteriormente foram avaliados quanto à quantidade de células tronco em seus intestinos. A molécula responsável por isso é a PPAR – Delta, termina Sergio Cortes, que ativa segmentos de DNA que levam à divisão dessas células.

Fonte: G1

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s