Sergio Cortes traz os dados de zika fora do Brasil

O tão temido mosquito Aedes Aegypti aos quais no passado era o responsável pela transmissão somente do vírus da Dengue evoluiu. Segundo o médico Sergio Cortes, acredita-se que o mosquito agora possa transmitir além da Dengue também a Chikungunya e o temível Zica vírus responsável pela microcefalia em bebês ainda em desenvolvimento no útero materno. Sergio Cortes explica que o caso ainda está em fase de análise e estudos aprofundados para a descoberta se os casos de microcefalia alarmantes estão realmente associados à picada do mosquito Aedes Aegypti.

O caso, no entanto, não é exclusivo do solo brasileiro. Segundo reportagem divulgada no G1 – globo.com, na Flórida, EUA, foram registrados 32(trinta e dois) casos de Zica vírus dentre eles 3 (três) registrados em mulheres grávidas. Segundo departamento de saúde local. Ainda segundo reportagem, os casos se apresentaram somente em pacientes com registro de viagens a locais onde há propagação dos vírus através do mosquito transmissor. Ainda segundo o médico Sergio Cortes, este é um importante ponto onde pode-se perceber que o ser humano é propagador do vírus.

Viagens dentro e fora do país ao qual residem são comuns. Países do exterior recebem por ano milhares de turistas e uma porcentagem destes pode entrar no país portando o vírus muitas vezes de forma ainda desconhecida apresentando os sintomas dentro do país de destino o que confunde as autoridades locais a respeito de onde possam tê-los adquirido. Quando não tratados ou descobertas suas origens estes portadores podem continuar sua linha de transmissão conforme percorrem por outros países.

Segundo estudos recentes, reporta Sergio Cortes, descobriu-se que através de contatos sexuais e orais (beijos) podem ser transmitidos tais vírus o que segundo Sergio Cortes só torna ainda mais alarmante toda esta situação tornando-se em pouco tempo em uma epidemia mundial. Têm se trabalhado duro contra tudo isto. Estudos relacionados a tal vírus e formas de propagação têm sido incansavelmente debatidos e estudados também no que se refere ao combate a tal agente transmissor. Ao longo dos meses, pesquisadores tem chegado a importantes descobertas porém nada tão significativo ao ponto de deter a disseminação do mesmo.

Diante de tal realidade a qual nos encontramos Sergio Cortes alerta para o fato de evitarem ao máximo possíveis viagens ao exterior ou até mesmo dentro do próprio país, principalmente em se tratando de mulheres grávidas em início de gestação. Ele alerta que embora a situação mundial seja alarmante não há motivos para pânico quando tomados os devidos cuidados.
Sergio Cortes alerta para um momento de união da população, um momento de vigiarmos nossos quintais evitando qualquer ponto que permita a disseminação de larvas do Aedes Aegypti e principalmente no que tange as mulheres, planejar para mais tardiamente sua gravidez evitando que acidentalmente o embrião possa adquirir a microcefalia.
Quanto as que já estão grávidas, também não há motivos para alarde. Apenas evitem se expor desnecessariamente e com cuidados especiais como uso de repelentes e telas nas janelas é possível chegar ao 9° mês de gestação sem futuros problemas para o bebê.

Fonte: G1

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s