Mês: Novembro 2015

Os exercícios e práticas que aliviam as dores nas costas, por Sergio Cortes

exercícios-dor-na-lombar

Com a vida moderna quase totalmente ligada as tecnologias, cresce também as dores nas costas, uma consequência dessa modernidade. Passar o dia todo sentado, algumas vezes em uma cadeira não apropriada e na maioria das vezes, com uma postura inadequada, estão entre as causas desse tipo de dor que tem crescido nos últimos anos.

Estar numa postura errada é mais falta de conhecimento do que de um problema sério, mas que infelizmente, ocasiona dores que podem se tornar crônicas se não tratadas a tempo. A falta de pausas para alongamentos também contribui para essas dores nas costas, uma vez que não se tem tempo para se esticar e depois voltar ao trabalho.

O médico especialista, Doutor Sergio Cortes, comenta sobre a postura – e dores nas costas – e os exercícios que ajudam o corpo a adquirir boa postura. Além da preocupação com a postura, existem exercícios que podem ser praticados afim de aliviar a dor e que ajudam a tonificar músculos.

Entre as dores causadas pela má postura estão a hérnia de disco, rigidez do pescoço e dor no ciático. Esses casos podem se tornar crônicos senão forem tratados e também diminuem os movimentos das pessoas que possuem o problema. Assim, é dado o alerta para o cuidado em relação a essas dores.

“Permanecer muito tempo sentado não faz bem a postura”, explica o Dr. Sergio Cortes, “de tal modo que é necessária a prática de exercícios para trazer uma boa postura ao corpo novamente”. Como a prática de exercícios, embora disseminada, ainda não é uma tradição no Brasil, muitos brasileiros não praticam atividades físicas e começam a sentir dores por não exercitarem os músculos que sustentam o corpo o dia todo. “Sem uma rotina de exercícios, é difícil levar uma vida sem sentir dor em algum momento” comenta o especialista.

Pilates, caminhada, yoga, pedalar e natação são algumas das opções de atividades físicas que além de contribuírem para uma boa saúde, permitem a criação de novos hábitos para manter uma boa postura. Mesmo que entre as opções dadas, alguns dos exercícios possam ser feitos sem supervisão de um especialista, o Dr. Sergio Cortes sugere que antes de qualquer prática física, a pessoa consulte um médico para saber qual exercício é melhor recomendado e a melhor maneira de realizá-lo. E antes e depois de qualquer exercício é essencial que se faça o alongamento para evitar lesões, distensões e inflamações.

É importante a recomendação médica para não agravar ou criar novos problemas de dores nas costas com a prática errada de exercícios não recomendados para casos específicos e ainda a má postura que pode ser adquirida na prática dos mesmos exercícios. Seguindo todas as recomendações e sendo cuidadoso, qualquer pessoa pode fazer os exercícios em casa caso não consiga ir a uma academia por qualquer motivo. “Existe uma série de exercícios de alongamentos e tonificação que podem ser feitos no conforto do lar e com o mínimo de risco de um possível agravamento das dores nas costas ou desenvolvimento de novas dores” fala o especialista Dr. Cortes “exercícios de alongamento suaves e que não exijam da coluna”.

Uma ideia é praticar os alongamentos com uma barra ou uma estrutura semelhante. O ideal é que o corpo faça os exercícios gentilmente e sem forçar nenhuma área especifica. Ainda que possam ser feitos alongamentos em casa, é necessário consultar um médico especialista para que ele indique qual é o melhor exercício para cada caso. Uma vez que exista a recomendação, sempre é necessário informar ao professor ou instrutor que irá supervisionar os exercícios, qual é o problema de coluna e quais exercícios se sente maior ou menos desconforto para que a série possa ser alterada e ajustada as condições corretas.

Outra opção para aqueles que não podem ou não querem frequentar uma academia é caminhar. “Além de ser um exercício simples, a caminhada ajuda no sistema circulatório e na respiração” diz o Dr. Cortes. Porém, apesar da simplicidade, a caminhada exige passos firmes (não pesados) e uma postura ideal para funcionar da maneira desejada.

Necessário notar o calçado para a atividade, um tênis próprio para isso. Meias que não deixem os pés escorregarem dentro do tênis. Escolher um lugar ideal para caminhada, onde exista uma pista apropriada para não ter problemas com quedas ou torções. A hidratação também é muito importante para o funcionamento correto do corpo na hora da caminhada. “São pequenos cuidados que se seguidos, vão proporcionar uma atividade plena” comenta o Dr. Cortes.

Alguns dos exercícios recomendados para as pessoas que tem problemas de dores nas costas são:

NATAÇÃO

“Sem dúvidas, é um dos exercícios mais recomendados para pessoas que possuem problemas crônicos nas costas” comenta o Dr. Sergio Cortes. Por não possuírem impacto na área lesionada, não há problemas com esse exercício, ao contrário da corrida, por exemplo, onde os músculos das costas sentem o exercício diretamente e sofrem o impacto de cada passada.

Mesmo que as costas não sofram diretamente com o exercício, a natação fortalece os membros superiores e tonifica as costas. “Além do mais, para a natação, é necessário aprender técnicas de respiração que são ótimas para melhorar e conservar a boa postura”, comenta o Dr. Sergio Cortes. É um exercício completo, segundo o especialista, pois grande parte das dores nas costas e dores pelo corpo vem de uma indisciplina de postura, assim, como a prática da natação exercita os membros de forma constante, é notável uma melhora na postura e no alivio da dor.

 

PEDALAR

Ao adotar essa prática, é necessário saber que pedalar nas ruas não é bom para as costas, uma vez que esse exercício feito nas ruas obriga uma postura que pode prejudicar as dores nas costas. “O que é aconselhável é a pessoa ir a uma academia e pedalar em uma bicicleta ergométrica, assim, é possível ajustar a postura numa posição natural e fazer o exercício” explica o Dr. Sergio Cortes.

Segundo o especialista, o benefício de praticar qualquer atividade física numa academia estende-se a outros aparelhos e outros exercícios que podem ajudar no problema das dores nas costas e por ter um profissional observando a postura e corrigindo sempre que necessário. A prática de exercícios com supervisão é sempre recomendada uma vez que muitas dores são causadas ou até mesmo, um quadro de dor é piorado por causa da prática de exercícios.

A bicicleta ergométrica é uma boa forma de exercício por promover o movimento das pernas e o fortalecimento de músculos do quadril. “Estar na postura correta ajuda bastante uma vez que é um exercício feito por períodos longos” comenta o Dr. Sergio Cortes.

 

PILATES

Sendo uma série de exercícios de baixo impacto e poucas repetições, o pilates é uma das melhores maneiras de praticar exercícios e obter uma nova e boa postura. Isso porque uma das principais funções do pilates é o realinhamento corporal. Ademais, “o pilates é flexível e pode sofrer modificações para se adequar as necessidades de dores nas costas que a pessoa possa ter” explica o Dr. Cortes.

Como a prática do pilates sempre deve ser feita com acompanhamento, é ótimo para não agravar problemas nas costas e aproveitar os demais benefícios que essa prática concede. “Mais do que o realinhamento, o pilates trabalha com a respiração e com o fortalecimento dos músculos estabilizadores da coluna” esclarece o Dr. Cortes “é uma boa maneira de fortalecer esses músculos e evitar a dor com poucas sessões semanais com uma série de exercícios de baixo impacto”.

Com a explicação do Dr. Cortes sobre a prática do pilates, o especialista comentou que o cinturão abdominal é uma das mais partes mais exercitadas e que a maior parte das pessoas que faz essa atividade não sofre de nenhum tipo de dor nas costas. O pilates não trabalha com pesos extras, como a musculação por exemplo, apenas com molas e o peso do próprio corpo. “É ideal para dor nas costas” comenta o Dr. Cortes.

 

YOGA

A yoga é uma série de exercícios de alongamento que são ótimos para as dores nas costas e para aliviar os estresses o dia-a-dia. Alguns dos exercícios podem ser feitos em casa, com muita cautela, pois a prática errada de exercícios e postura também ocasiona as dores nas costas.

“É verdade que alguns exercícios podem ser feitos em casa, mas o ideal é que sejam feitos em uma academia ou centro de Yoga, com a supervisão de um profissional pois exigem uma postura correta e uma respiração adequada” recomenda o Dr. Cortes “Qualquer coisa fora disso pode agravar problemas ou criar novos”.

É preciso avisar ao instrutor de Yoga qual o problema nas costas para que ele altere as posturas para um melhor benefício. Por se tratar de alongamentos e respirações, é importante revelar se alguma postura é dolorida ou se causa desconforto para que o instrutor ajude no exercício ou troque a postura. Essa é uma das dificuldades da yoga caseira em caso de dor ao fazer os alongamentos: não saber se a postura está equivocada ou se a postura não é adequada.

Sergio Cortes aborda novo estudo sobre riscos da diabetes

riscos-de-medicações-usadas-nas-diabentes

Uma tese foi apresentada recentemente debatendo a ingestão em demasia precedida por fome em período considerável, e consideravelmente crônico na idade de infância, contribui com uma porcentagem elevada para que o indivíduo seja acometido pela doença da diabetes em vida adulta. A hipótese é uma conclusão de um estudo que remonta ao ano de 1959 onde uma situação precária na China onde predominou a pobreza afetando parte da população pela fome. Esta calamidade se estendeu até o ano de 1962, onde a partir daí a economia chinesa apresentou reação no tangente ao PIB do país asiático, afirma Dr. Sergio Cortes.

Dr. Sergio Cortes menciona a análise com base em pesquisas envolvendo dados de cerca de 6.900 adultos, deste total 3.500 enfrentaram situação de fome durante a infância, seguido de condições econômicos melhores na vida adulta. Uma comparação destes com universo total daqueles examinados chegou-se a conclusão que aqueles expostos a condições de privação alimentar por partes de suas mães apresentaram um percentual acima de 50% do restante.

Embora esta análise nos estimula a crer que aquele que sofre os efeitos desta privação, estará sujeito a portar a doença na vida futura, outro estudo concluiu que os chineses que vivem em regiões de recursos mais presentes e acessíveis apresentam 46% maior chance de obter a doença do que aqueles que vivem em locais mais pobres.

Dr. Sergio Cortes aponta o autor do estudo Yingli Lu, da Universidade Jiaotong, de Xangai, com uma afirmação que consiste em relevar a circunstância de uma vida afortunada pode contribuir para uma propensão maior para se contrair a enfermidade. Indivíduos que provem de uma infância miserável onde a fome fez parte de sua vida e atingir uma padrão de vida onde se goza de uma sobre nutrição, uma alimentação nababesca demonstra que este contraste é pernicioso, passível de a diabetes afetá-lo.

Dr. Sergio Cortes traz à tona temática voltada para a explicação deste acontecimento, porque esta propensão é mais acentuada nas pessoas que sofreram de fome. Uma teoria seria de que a desnutrição na idade ainda de gestação, o feto tendo mais tempo para se alimentar e neste período da vida é que se apresenta a fase mais importante para se alimentar, de valor nutricional imprescindível, a carência de nutrientes torna deficiente seus organismos de converterem açúcar em energia. Este então quando chega à vida adulta poderá sofrer por ter uma alimentação mais abundante. Novamente Dr. Sergio Cortes cita números para evidenciar esta teoria onde no total, 11,4% dos adultos acompanhados pelo estudo tiveram diabetes, 31% eram obesos e 40% apresentavam hipertensão arterial..

Segundo um artigo publicado pela revista “Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism“, sobre este trabalho de pesquisa demonstra que não significa que vítimas de fome que passam a gozar de condições mais favoráveis serão afetadas pela diabetes, algo que se releva é uma correlação. Dr. Sergio Cortes finaliza ao citar a pediatra Ana Escobar, consultora do Bem Estar, que a ciência tem obtido diversas descobertas recentes ao relacionar o ambiente da vida intra-uterina com problemas de saúde na vida adulta.