A importância dos exames preventivos no combate a doenças cardíacas.

O coração é um dos principais órgãos do corpo humano e merece atenção em relação a seu funcionamento e sua saúde. Exames cardíacos precoces funcionam de maneira preventiva e ajudam a manter o coração saudável e um melhor estilo de vida. A prevenção ainda é a melhor solução para evitar possíveis doenças cardíacas ou iniciar um tratamento com maior possibilidade de cura já que a maior parte das mortes por infarto está associada a primeira hora que a doença se manifesta. Estar alerta aos sintomas, levar uma vida saudável com dieta balanceada e exercícios físicos, e fazer os exames preventivos são o caminho para uma vida sem maiores complicações cardiovasculares.

O médico doutor Sergio Cortes fala sobre os grupos de risco de doenças cardíacas e também sobre o exame preventivo. Ao final, o médico lembra da importância de uma vida proveitosa  com atividades que relaxem e em uma dieta que evite ou reduza alimentos que possam gerar doenças associadas as doenças cardíacas.

O Dr. Sergio Cortes adverte que pessoas que possuem histórico de doenças cardíacas na família, o exame preventivo torna-se ainda mais importante uma vez que as doenças cardíacas têm relação com a genética, assim, a porcentagem de desenvolvimento de qualquer doença cardíaca é maior quando há casos na família de doenças cardiovasculares ou derrames cerebrais. Esse fator sempre deve ser avisado ao médico e essas pessoas devem se preocupar em fazer exames regulares para prevenção, enfoca o Dr. Sergio Cortes. Quanto antes o exame for feito por pessoas que se enquadrem nesse caso de doença na família, é melhor. Assim, é recomendado que os exames comecem a partir dos 30 anos para pessoas com casos na família. Para as pessoas que não possuem histórico familiar de doenças cardíacas, os exames preventivos podem começar um pouco depois dos 35 anos.

É de conhecimento de todos que os homens são os mais afetados por problemas cardíacos, mas de forma alguma, as mulheres não devem ficar atentas a isso. Os homens têm maiores chances de infarto, mas nas mulheres, os episódios, em sua maioria, são fatais. O Dr. Sergio Cortes explica que existe uma crendice popular que mulheres não sofrem de problemas cardiovasculares, mas isso não é verdade, por isso, o alerta que ambos os sexos podem desenvolver doenças cardíacas. Quando não há histórico de casos cardíacos na família, os homens com idades superiores a 40 anos e mulheres que chegaram na menopausa entram nos dados de maior risco de acidentes cardiovasculares. Ou seja, mesmo que não tenha casos na família, ainda assim, existe a chance de uma pessoa desenvolver problemas cardíacos. Por isso, o exame preventivo é tão importante e deve ser realizado com seriedade e regularidade.

No grupo de risco para pessoas propensas às doenças cardiovasculares encontram-se também os hipertensos, diabéticos e obesos. A explicação dessas doenças no grupo de risco se dá porque essas doenças causam inflamação do endotélio, tecido que reveste os vasos sanguíneos, facilitam o acumulo de colesterol nas artérias, o que pode ocasionar uma obstrução na artéria, não permitindo a passagem de sangue, e assim, um infarto. É necessário acompanhamento médico para cada uma das doenças citadas aqui que se encontram dentro do grupo de risco, assim como associar uma boa dieta a medicação prescrita (se for o caso), fazer exercícios físicos e consultar sempre o médico para repetir os exames preventivos. O ideal é que os exames sejam feitos a cada seis meses, mesmo que a pessoa se sinta bem e não se queixe de qualquer mal-estar. Somente os exames vão dizer se o coração se encontra saudável e se está funcionando adequadamente.

Se remédios foram receitados para controlar o colesterol, é necessário que sejam tomados regularmente. Existe a ideia que de o colesterol pode ser controlado apenas com alimentação, mas nem sempre isso é possível. Dessa forma, o uso da medicação deve ser correto. As estatinas atuam como anti-inflamatórios e reduzem a inflamação do endotélio, ajudando na prevenção de doenças cardíacas.

Pessoas que possuem tendência genética a problemas de colesterol, infelizmente, não podem comer o que desejam todos os dias. É necessário seguir uma dieta e ter hábitos alimentares saudáveis.

O Dr. Sergio Cortes faz um alerta em especial aos idosos que merecem total atenção no caso de doenças cardiovasculares por causa da hipertensão ou da diabetes que podem ter se desenvolvido com o passar dos anos. Essas doenças são um dos principais fatores de risco para doenças cardíacas e insuficiência renal por agredirem as artérias que levam o sangue ao coração e aos rins. Apesar de ter casos de doenças cardíacas em faixa etária entre 18 a 40 anos, a incidência é maior em idosos, dessa forma, o alerta especial de faz necessário.

Fumantes também estão na faixa de risco de doenças cardiovasculares e devem fazer os exames cardíacos preventivos. O tabagismo é considerado uma doença pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e causa mudanças emocionais e físicas. A nicotina causa o aumento da frequência cardíaca e da pressão, além de coagubilidade sanguínea, fatores esses que causam infartos e dores cardíacas. Fumantes devem fazer exames preventivos não somente para o coração, pois o tabagismo é responsável por outras doenças pulmonares e cancros. Esse caso é um grupo de risco para muitas doenças.

Os exames preventivos são simples e rápidos de serem feitos, com resultados que não demoram a sair. Um exame de sangue é pedido para medir as taxas de colesterol, glicemia e outras substancias no sangue. Logo depois, é feito um eletrocardiograma (ECG) com o paciente em repouso. Ele determina os batimentos, se o ritmo é normal e como é a atividade cardíaca. A interpretação desse exame pode levar a pedir mais exames cardíacos ou afastar de vez a possibilidade de doença cardíaca, como também fazer controle se caso já exista uma doença cardíaca já atestada. Ainda com essa certeza dada por esse exame, é possível que o médico peça mais exames para se certificar dos resultados. Esse procedimento não é invasivo, assim, ele é bastante seguro.

Como o primeiro eletrocardiograma foi feito com o paciente em repouso, é pedido um segundo eletrocardiograma (ECG esfor.) com o paciente numa esteira ou em uma bicicleta ergométrica. Esse exame vai medir o desempenho cardíaco sob estresse durante a execução de certos percursos que serão realizados pelo paciente. Geralmente, esse exame é pedido para aquele paciente que deseja praticar atividades físicas, esclarece o Dr., esse exame deve sempre ser feito com controle médico e nunca sozinho. Assim como o outro eletrocardiograma, esse exame ergométrico não é invasivo, mas deve sempre ser feito a pedido de um médico e com ele presente.

Se o médico obter resultados que indiquem uma doença cardíaca, ele pode pedir um ecocardiograma, continua a explicar Sergio Cortes. Esse exame é um ultrassom do coração, que mostra informações a respeito da estrutura cardíaca, como tamanho, forma, e os movimentos tanto do músculo como das válvulas. Com esse exame, o cardiologista pode analisar a existência de alguma doença congênita ou uma doença em fase inicial, e se existe hipertrofia, aumento do músculo do coração. Esse exame também não é invasivo.

Quando são constatadas anormalidades, os procedimentos continuam sendo requisitados ao paciente, o cardiologista pode determinar a doença cardíaca com outros exames. Entre os novos exames pedidos, existe o chamado cineangiocoronariografia ou mais conhecido como cateterismo, onde é feita uma punção na artéria e se introduz um cateter que segue até as artérias do coração. Chegando lá, injeta-se um contraste e filma-se o órgão afim de descobrir qual artéria está obstruída. Esse exame é feito sempre que um paciente com infarto chega ao hospital, pois é necessário saber qual artéria está entupida para que o procedimento cirúrgico aconteça da melhor forma possível. Apesar de ser um procedimento invasivo, ele é totalmente seguro, sem riscos ao paciente.

Ainda existem outros exames bem específicos para cada caso de doença cardíaca, mas a explicação desses quatro procedimentos já demonstra o avanço na área da cardiologia e que ajuda a prevenir futuros problemas cardíacos. Os demais exames mostram-se bem específicos e somente são feitos quando constatada uma doença no coração.

Além dos exames preventivos, o Dr. Sergio Cortes ressalta a importância de uma vida saudável, com atividades de lazer para diminuir o estresse e liberar as tensões, pois um dos maiores grupos de risco de infartos está em pessoas muito atribuladas e estressadas. Atividades físicas combatem o sedentarismo e são saudáveis para o organismo. Uma dieta balanceada ajuda a combater as doenças que causam infarto e pede-se bom senso ao consumir comidas gordurosas.

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s