Mês: Agosto 2015

Sergio Cortes explica o que é e a importância da terapia para uma vida equilibrada.

Atualmente, muitas pessoas estão preocupadas com o seu bem estar físico, mas esquecem de que, muitas vezes, ele está relacionado com o bem estar psíquico. Fortes emoções e pensamentos automáticos e disfuncionais podem, por exemplo, originar sintomas físicos. É o caso da famosa gastrite, uma dor aguda na região do abdômen que normalmente deriva da preocupação, nervosismo e ansiedade.

Muito além do que se resume à saúde física, o estado de saúde psíquica é promovido através da terapia. Muitos já devem ter ouvido falar que “todo mundo precisa de terapia”, mas poucos sabem o que é ou para quê serve.

Sergio Cortes explica que o processo de terapia auxilia as pessoas a se conhecerem melhor e prestarem atenção em si mesmas, nos outros e nas próprias relações. É um meio de promoção de autoconhecimento, autoconfiança e autoestima que ajuda a pessoa a fazer escolhas saudáveis e construtivas em sua vida, resultando em saúde psíquica e qualidade de vida.

A pessoa que se dispõe a procurar terapia, acima de tudo, deve estar preparada para ser questionado e para ouvir verdades do psicólogo. Deve também estar disposto a se reconhecer como pessoa de valor e com vários potenciais, característica que, muitas vezes, as próprias pessoas omitem de si mesmas.

Um bom psicólogo, por sua vez, acolherá o sofrimento do cliente que abala a saúde psicológica e não duvidará dele, nem julgará suas atitudes como certas ou erradas. Ele interpretará seus medos, mágoas, anseios, e comunicará suas percepções, sempre visando o desenvolvimento pessoal do sujeito. O psicólogo também ajudará a descobrir os potenciais do sujeito, e não apenas tratará de seu sofrimento ou infelicidade. A terapia é um espaço para dividir angústias e talentos.

Os motivos para a procura de terapia vão muito além de uma depressão, fobia, dependência, perda de familiares, problemas de comportamento, ou outros. Pode-se dizer que todo sofrimento ou angústia precisa ser trabalhado. Fazer terapia também é encontrar novas formas de lidar com memórias que afetam os sentimentos, como o término de um relacionamento, por exemplo.

Atualmente, muitas pessoas preocupam-se em desenvolver em sua personalidade aspectos sociais, para buscar aprovação dos demais. As pessoas já não estão mais satisfeitas consigo mesmas e buscam reconhecimento pelos bens que possuem ou consomem. É o lema do capitalismo, do mundo atual: você pode ter tudo, que ainda lhe faltará alguma coisa. E essa falta fará tanta falta a ponto de fazer você esquecer o que você é e querer ser o que você tem. E quando finalmente tiver o objeto de consumo que lhe falta, procurará inconscientemente algo para ocupar o lugar do que faltava. É uma busca desenfreada por algo meramente ilusório, e que causa sofrimento e um sentimento de vazio ao sujeito. Esta busca de aprovação e necessidade de agradar o outro é uma produção do sistema capitalista, da própria sociedade, e muitas vezes também precisa ser trabalhada em terapia.

Em suma, a terapia traz inúmeros benefícios ao sujeito como, por exemplo: resolução de conflitos emocionais, enriquecimento das relações, autoconhecimento, a possibilidade de aprender a lidar com eventos e sentimentos negativos, conhecer as próprias potencialidades e tantos outros benefícios, mas sempre mantém como principal objetivo a promoção de bem estar psíquico e qualidade de vida.

A importância dos exames preventivos no combate a doenças cardíacas.

O coração é um dos principais órgãos do corpo humano e merece atenção em relação a seu funcionamento e sua saúde. Exames cardíacos precoces funcionam de maneira preventiva e ajudam a manter o coração saudável e um melhor estilo de vida. A prevenção ainda é a melhor solução para evitar possíveis doenças cardíacas ou iniciar um tratamento com maior possibilidade de cura já que a maior parte das mortes por infarto está associada a primeira hora que a doença se manifesta. Estar alerta aos sintomas, levar uma vida saudável com dieta balanceada e exercícios físicos, e fazer os exames preventivos são o caminho para uma vida sem maiores complicações cardiovasculares.

O médico doutor Sergio Cortes fala sobre os grupos de risco de doenças cardíacas e também sobre o exame preventivo. Ao final, o médico lembra da importância de uma vida proveitosa  com atividades que relaxem e em uma dieta que evite ou reduza alimentos que possam gerar doenças associadas as doenças cardíacas.

O Dr. Sergio Cortes adverte que pessoas que possuem histórico de doenças cardíacas na família, o exame preventivo torna-se ainda mais importante uma vez que as doenças cardíacas têm relação com a genética, assim, a porcentagem de desenvolvimento de qualquer doença cardíaca é maior quando há casos na família de doenças cardiovasculares ou derrames cerebrais. Esse fator sempre deve ser avisado ao médico e essas pessoas devem se preocupar em fazer exames regulares para prevenção, enfoca o Dr. Sergio Cortes. Quanto antes o exame for feito por pessoas que se enquadrem nesse caso de doença na família, é melhor. Assim, é recomendado que os exames comecem a partir dos 30 anos para pessoas com casos na família. Para as pessoas que não possuem histórico familiar de doenças cardíacas, os exames preventivos podem começar um pouco depois dos 35 anos.

É de conhecimento de todos que os homens são os mais afetados por problemas cardíacos, mas de forma alguma, as mulheres não devem ficar atentas a isso. Os homens têm maiores chances de infarto, mas nas mulheres, os episódios, em sua maioria, são fatais. O Dr. Sergio Cortes explica que existe uma crendice popular que mulheres não sofrem de problemas cardiovasculares, mas isso não é verdade, por isso, o alerta que ambos os sexos podem desenvolver doenças cardíacas. Quando não há histórico de casos cardíacos na família, os homens com idades superiores a 40 anos e mulheres que chegaram na menopausa entram nos dados de maior risco de acidentes cardiovasculares. Ou seja, mesmo que não tenha casos na família, ainda assim, existe a chance de uma pessoa desenvolver problemas cardíacos. Por isso, o exame preventivo é tão importante e deve ser realizado com seriedade e regularidade.

No grupo de risco para pessoas propensas às doenças cardiovasculares encontram-se também os hipertensos, diabéticos e obesos. A explicação dessas doenças no grupo de risco se dá porque essas doenças causam inflamação do endotélio, tecido que reveste os vasos sanguíneos, facilitam o acumulo de colesterol nas artérias, o que pode ocasionar uma obstrução na artéria, não permitindo a passagem de sangue, e assim, um infarto. É necessário acompanhamento médico para cada uma das doenças citadas aqui que se encontram dentro do grupo de risco, assim como associar uma boa dieta a medicação prescrita (se for o caso), fazer exercícios físicos e consultar sempre o médico para repetir os exames preventivos. O ideal é que os exames sejam feitos a cada seis meses, mesmo que a pessoa se sinta bem e não se queixe de qualquer mal-estar. Somente os exames vão dizer se o coração se encontra saudável e se está funcionando adequadamente.

Se remédios foram receitados para controlar o colesterol, é necessário que sejam tomados regularmente. Existe a ideia que de o colesterol pode ser controlado apenas com alimentação, mas nem sempre isso é possível. Dessa forma, o uso da medicação deve ser correto. As estatinas atuam como anti-inflamatórios e reduzem a inflamação do endotélio, ajudando na prevenção de doenças cardíacas.

Pessoas que possuem tendência genética a problemas de colesterol, infelizmente, não podem comer o que desejam todos os dias. É necessário seguir uma dieta e ter hábitos alimentares saudáveis.

O Dr. Sergio Cortes faz um alerta em especial aos idosos que merecem total atenção no caso de doenças cardiovasculares por causa da hipertensão ou da diabetes que podem ter se desenvolvido com o passar dos anos. Essas doenças são um dos principais fatores de risco para doenças cardíacas e insuficiência renal por agredirem as artérias que levam o sangue ao coração e aos rins. Apesar de ter casos de doenças cardíacas em faixa etária entre 18 a 40 anos, a incidência é maior em idosos, dessa forma, o alerta especial de faz necessário.

Fumantes também estão na faixa de risco de doenças cardiovasculares e devem fazer os exames cardíacos preventivos. O tabagismo é considerado uma doença pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e causa mudanças emocionais e físicas. A nicotina causa o aumento da frequência cardíaca e da pressão, além de coagubilidade sanguínea, fatores esses que causam infartos e dores cardíacas. Fumantes devem fazer exames preventivos não somente para o coração, pois o tabagismo é responsável por outras doenças pulmonares e cancros. Esse caso é um grupo de risco para muitas doenças.

Os exames preventivos são simples e rápidos de serem feitos, com resultados que não demoram a sair. Um exame de sangue é pedido para medir as taxas de colesterol, glicemia e outras substancias no sangue. Logo depois, é feito um eletrocardiograma (ECG) com o paciente em repouso. Ele determina os batimentos, se o ritmo é normal e como é a atividade cardíaca. A interpretação desse exame pode levar a pedir mais exames cardíacos ou afastar de vez a possibilidade de doença cardíaca, como também fazer controle se caso já exista uma doença cardíaca já atestada. Ainda com essa certeza dada por esse exame, é possível que o médico peça mais exames para se certificar dos resultados. Esse procedimento não é invasivo, assim, ele é bastante seguro.

Como o primeiro eletrocardiograma foi feito com o paciente em repouso, é pedido um segundo eletrocardiograma (ECG esfor.) com o paciente numa esteira ou em uma bicicleta ergométrica. Esse exame vai medir o desempenho cardíaco sob estresse durante a execução de certos percursos que serão realizados pelo paciente. Geralmente, esse exame é pedido para aquele paciente que deseja praticar atividades físicas, esclarece o Dr., esse exame deve sempre ser feito com controle médico e nunca sozinho. Assim como o outro eletrocardiograma, esse exame ergométrico não é invasivo, mas deve sempre ser feito a pedido de um médico e com ele presente.

Se o médico obter resultados que indiquem uma doença cardíaca, ele pode pedir um ecocardiograma, continua a explicar Sergio Cortes. Esse exame é um ultrassom do coração, que mostra informações a respeito da estrutura cardíaca, como tamanho, forma, e os movimentos tanto do músculo como das válvulas. Com esse exame, o cardiologista pode analisar a existência de alguma doença congênita ou uma doença em fase inicial, e se existe hipertrofia, aumento do músculo do coração. Esse exame também não é invasivo.

Quando são constatadas anormalidades, os procedimentos continuam sendo requisitados ao paciente, o cardiologista pode determinar a doença cardíaca com outros exames. Entre os novos exames pedidos, existe o chamado cineangiocoronariografia ou mais conhecido como cateterismo, onde é feita uma punção na artéria e se introduz um cateter que segue até as artérias do coração. Chegando lá, injeta-se um contraste e filma-se o órgão afim de descobrir qual artéria está obstruída. Esse exame é feito sempre que um paciente com infarto chega ao hospital, pois é necessário saber qual artéria está entupida para que o procedimento cirúrgico aconteça da melhor forma possível. Apesar de ser um procedimento invasivo, ele é totalmente seguro, sem riscos ao paciente.

Ainda existem outros exames bem específicos para cada caso de doença cardíaca, mas a explicação desses quatro procedimentos já demonstra o avanço na área da cardiologia e que ajuda a prevenir futuros problemas cardíacos. Os demais exames mostram-se bem específicos e somente são feitos quando constatada uma doença no coração.

Além dos exames preventivos, o Dr. Sergio Cortes ressalta a importância de uma vida saudável, com atividades de lazer para diminuir o estresse e liberar as tensões, pois um dos maiores grupos de risco de infartos está em pessoas muito atribuladas e estressadas. Atividades físicas combatem o sedentarismo e são saudáveis para o organismo. Uma dieta balanceada ajuda a combater as doenças que causam infarto e pede-se bom senso ao consumir comidas gordurosas.

 

 

Sergio Cortes explica se estalar os dedos é prejudicial para as juntas.

Conforme relata Sergio Cortes um hábito que muitos tem, os famosos “TREK TREK TREK” do estalar de dedos foi alvo estudo pela Universidade de Alberta, no Canadá. Ao contrário do que pensamos, esse som pode até indicar a saúde das juntas, como relata os pesquisadores.

Durante os testes realizados em uma Ressonância Magnética foi observada a formação de uma “bolha” no líquido sinovial (substância que lubrifica as articulações) que causa o barulho – e não o atrito entre os ossos (estudo foi publicado 15/04). Após estalar os dedos leva cerca de 20 min para a “bolha” restabelecer e é por isso que as juntas só vão estalar de vez em quando.

Geralmente sentimos um alívio depois de estalar nossos dedos ou ir para um quiroprata. Segundo Sergio Cortes isto acontece porque quando os dedos são estalados os os órgãos tendinosos de Golgi são estimulados e isto causa o relaxamento dos músculos ao redor da articulação.

Mesmo sendo recente a publicação, essa pesquisa dá suporte científico a uma de 1940 que usou radiografias que observou a mesma “bolha” que fazia as juntas estalar. Sergio Cortes acredita que dois trabalhos valem a pena serem citados são: um estudo publicado na revista “The Wertern Journal of Medicine” 1975, onde um grupo de 28 foram submetidos a exames clínicos e raio x, tendo parte deles o habito de estalar os dedos e outra não. Não foram encontradas diferenças significativas, ou seja, entre os “estaladores” e os “não estaladores” o resultado foi similar. No segundo trabalho, publicado em 1990, foram separados 300 pacientes que também não foi constada ligação ligação entre o o habito de estalar e alterações degenerativas.

Sergio Cortes comenta que nesse segundo trabalho foi observado entre os “estaladores” edema nas mãos e redução da força de preensão manual eram mais comuns. Ele ressalta porem que os resultados obtidos devem ser observados com cuidado, devido ao fato dos “estaladores” serem compostos principalmente por trabalhadores manuais que tendiam a fumar, beber e roer as unhas. Sergio Cortes alerta que trabalhos apresentados não oferecem respostas definitivas.

Richard Thompson um cientista envolvido no estudo afirma que as pessoas nãos gostam do barulho porque “acham que há algum dano sendo feito”.

Segundo Kawchuck outro cientista do estudo, ainda esta em estudo se a incapacidade de fazer estalar as juntas pode estar relacionados a problemas de saúde.

Pesquisadores que realizaram a pesquisa acreditam que o experimento pode ajudar a descobrir problemas nas juntas antes de os sintomas aparecerem. Além de poder ajudar a revelar o porque do desenvolvimento de artrite nas articulações e lesões.

Por último Sergio Cortes fala também sobre estalar o pescoço e o alerta que alguns quiropratas tem se mostrado. Estalar constantemente o pescoço pode significar uma síndrome de hipermobilidade nas articulações ou pode ter muito espaço entre ela que podem sair do alinhamento. Os músculos ao redor das articulações do pescoço podem apertar demais para segurá-las no lugar, podendo causar tensão no pescoço.

Sendo assim, estalar suas articulações do pescoço não te causará uma artrite, podendo acarretar porém um torcicolo leve todos os dias

Sergio Cortes comenta sobre o avanço do coletor menstrual entre o público feminino

Uma tendência nova vem ocupando o espaço na vida de muitas mulheres. Apesar da resistência de algumas, o coletor menstrual tem crescido entre o público feminino trazendo praticidade e sustentabilidade ao meio ambiente. Veja mais informações trazidas por Sergio Cortes, médico especialista, desse recurso que te faz sentir mais confortável e ainda gera uma economia significativa.

Não é de hoje que a maioria das mulheres reclama do desconforto que sentem quando estão no período menstrual. É a dor incessante, irritações demasiadas, mudança de humor, choros sem motivo, além do inconveniente absorvente descartável que a faz ter que trocar várias vezes ao dia, informa Sergio Cortes.

A evolução que tem surgido no mercado de higiene feminina é bem significativa. Pode-se observar que é um tema ainda pouco abordado, afirma Sergio Cortes, devido à resistência de muitas mulheres ao falarem sobre intimidade íntima e o fato de não tocarem em seu corpo.

É fácil notar ainda que um público muito pequeno utiliza o absorvente interno por não se sentirem bem ou não quererem ter a experiência de introduzi-lo dentro da vagina, comenta Sérgio Cortes.

Mediante disso, é possível enxergar que, apesar de todo conhecimento evoluído no mundo, ainda se tem muito que crescer e abrir a mente de muitas pessoas quanto às novidades que surgem para facilitar a boa higiene da mulher e praticar a sustentabilidade no mundo, alerta Sergio Cortes.

Aspectos dos tipos de absorventes:

Avaliando os tipos de absorventes existentes no mundo, basicamente, há apenas dois tipos: o externo e interno. Agora com a criação do coletor menstrual pode-se considerá-lo como um absorvente que se enquadra no tipo interno e será comentado sobre ele ao final do texto com mais detalhes, diz Sérgio Cortes.

  • Absorvente externo

É o mais utilizado pelo público feminino. E antes de terem sido criados os absorventes descartáveis, o único meio de a mulher resolver a questão do sangue era usando um pano que, depois, era lavado e reutilizado. Uma maneira muito desgastante, além de demonstrar falta de higiene íntima que em muitos casos não eram bem lavados, comenta Sergio Cortes.

Com a chegada dos absorventes descartáveis, as mulheres tiveram uma boa aceitação por ser algo de baixo custo e que depois de usado era jogado fora. Mas também há pontos negativos como:

  • O desconforto de usá-lo ao andar
  • Ao vestir uma calça de cor branca ou outra cor mais clara
  • As várias trocas que devem ser feitas durante o dia
  • O risco de manchar a roupa por deslizar na calcinha ou lençóis na cama
  • O lixo que se acumula nos aterros sanitários e lixões que, juntamente com as fraldas descartáveis, são responsáveis por 2% do volume
  • Mulheres geram cerca de 150 quilos de absorventes sujos durante sua vida fértil.

Por mais que sejam mais práticos, de baixo consumo e fáceis de usar, eles causam um mal enorme para o ambiente já que os materiais usados não podem ser reutilizados e o acúmulo de lixo é muito grande, afirma Sergio Cortes.

Com o enfoque cada vez maior para a sustentabilidade do meio ambiente, sugere Sergio Cortes, é cada vez mais preciso a criação de um produto mais sustentável e que contribua para a preservação ambiental.

  • Absorventes internos

Já se encontram no mercado há mais de 30 anos, porém ainda pouco aceito pelo público feminino e, consequentemente, pouco usado, diz Sergio Cortes. Muitas dessas mulheres que evitam o contato com esse tipo de absorvente é por conta das dúvidas que possuem e por apresentar alguns malefícios para o corpo e a boa higiene.

Algumas informações importantes que Sergio Cortes destaca sobre esse tipo de absorvente interno:

  • O fluxo de sangue não aumenta devido ao uso
  • Não gera desconforto, pois você só precisa colocá-lo ao fundo da vagina
  • Para diminuir o risco de absorver bactérias e infecções é preciso trocar o tampão de 4 em 4 horas
  • Pode ser usado por meninas virgens, porém a recomendação é optar pelo modelo mini, mas só em casos de querer ir à praia ou entrar na piscina durante o período menstrual
  • Ainda existe muito tabu ao optar por esse absorvente devido a muitas mulheres ficarem com vergonha ou não terem o hábito de tocar e conhecer o seu corpo.

Ainda há muito que evoluir em questão do uso de absorventes que possam agradar a todos os setores, diz Sergio Cortes. É preciso que haja informações corretas sobre o uso para que não gere dúvidas e falta de entendimento gerando preconceitos e um pensamento incorreto à população.

Coletor menstrual é a mais nova tendência para o público feminino

Como uma alternativa boa para as mulheres que querem aliar conforto e economia maior ao bolso, os coletores menstruais tornaram-se a grande aliados delas em todo o mundo. O seu uso é fácil, não tem contraindicações dos profissionais médicos e ginecológicos e ainda a mulher contribui com a sustentabilidade do meio ambiente, informa Sergio Cortes.

De que material é feito?

O coletor menstrual possui o tamanho de um cálice de copo pequeno de café, produzido de material de silicone cirúrgico. Deve-se introduzi-lo na vagina fazendo uma dobra e colocado no canal vaginal.

Ele deve durar na vagina cerca de 8h a 12h. Ao retirar o coletor menstrual da vagina, ele deve ser lavado e colocado novamente até ao término da menstruação. O material não causa qualquer dano ao corpo.

Vantagens ao usar o coletor menstrual por Sérgio Cortes.

Certamente há centenas de vantagens quanto ao uso e os benefícios que ele traz para a boa higiene e que pode economizar muito no fim do mês.

  • O sangue não é absorvido
  • Não permite o contato com o ar
  • Evita criar fungos e bactérias e também odores desagradáveis
  • Fornece menos casos de alergia
  • O uso é só uma questão de adaptação que com prática, o corpo físico se acostuma e não gera mais desconforto ou aquela sensação diferente dentro da vagina
  • A economia é um grande fator para o consumo, pois um coletor menstrual custa em média o valor de R$ 79,00 e dura por mais de 5 anos. Mas a Inciclo, empresa responsável pela fabricação desse produto, recomenda o uso em apenas 3 anos
  • A mulher tem a opção de escolher o tamanho. No mercado há apenas dois disponíveis: um que depende da idade da mulher e o outro se já teve filhos
  • Contribui para a diminuição do montante de lixo causado pelo consumo de absorventes descartáveis
  • É mais ecológico, prático e econômico.

Além dessas vantagens descritas acima, diz Sergio Cortes, o coletor menstrual tem gerado muitos empregos a milhões de pessoas tanto de forma direta quanto indireta. O crescimento de revendedoras que estão trabalhando e oferecendo esse produto é grande e tem contribuído para que ele seja popularizado e conhecido por todas as mulheres!

Quem fabrica o coletor menstrual?

A única empresa nacional fabricante dos coletores menstruais é a Inciclo. Segundo a Inciclo, nos últimos doze meses houve um crescimento exorbitante pelo produto. Cerca de mais de 938% de vendas durante esse período.

A fundadora da Inciclo se chama Mariana Betioli e explica que o motivo do sucesso foi ter começado com a segmentação de seu público feminino optando por mulheres mais abertas como as que se denominam feministas e as que são a favor da sustentabilidade no planeta.

E ainda informa que com o uso das redes sociais, o produto tem sido divulgado e atraído um número maior de mulheres para experimentar e usar. É feito campanhas com informações e tirando dúvidas bem como dando dicas quanto a utilidade que ele pode gerar na vida das mulheres.

Além dessa empresa no Brasil há mais de 30 em todo o mundo. Alguns países como a Nigéria, índia e República Tcheca já comercializam e oferecem ao público feminino.

Sergio Cortes discorre sobre a resistência quanto ao coletor menstrual.

Em meio a modernidade e evolução do conhecimento uma das resistências maiores é a questão de discutir e conversar sobre a menstruação. Nem todas as mulheres estão abertas a falar desse assunto e nem todas abordam com tranquilidade.

Muitas delas nunca nem pisaram em um consultório ginecológico para perguntar sobre assuntos de intimidade dela mesma e temas necessários para a boa higiene íntima da mulher.

Sergio Cortes ainda informa que Mariana, fundadora da Inciclo, afirma que “já estamos em 2015 e ainda tem gente que não fala sobre a menstruação. Essa é a dificuldade”, ela afirma.

O depoimento de uma mulher que começou a usar esse coletor menstrual e deu adeus ao absorvente é a jornalista Fernanda Carpegiani, que tem 27 anos, e diz que “a maior barreira é a questão do tabu de conversar sobre a menstruação e das pessoas não conseguirem ficar em contato com seu corpo. Minha família acha um absurdo. A maior resistência é isso”, diz a jornalista.

E Fernanda ainda comenta que, no começo, havia sentido alguma dificuldade para encaixá-lo e em não permitir que haja vazamento, mas, alerta que é apenas uma questão de adaptação física. Afirma ainda a todas que queiram usar o coletor menstrual que: “No final, com o copinho, descobri que a quantidade de sangue da menstruação que nós pensamos sair é muito maior”.

 

Os benefícios do Alho por Sergio Cortes.

O alho é um dos temperos mais usados nas cozinhas mundo afora tanto por seu sabor forte e picante como por seu cheiro característico e atrativo para algumas pessoas. Mas o alho também é conhecido por suas propriedades medicinais. Desde a antiguidade, o alho é usado na composição de medicamentos por ter propriedades antibacterianas, anticoagulantes e antivirais, e que hoje, se mostram confirmadas graças aos estudos realizados.

Com a grande demanda por alimentos saudáveis e por saber ao certo o que cada alimento traz de bom, o Dr. Sergio Cortes, médico doutor especialista no assunto, explica algumas das propriedades do alho e porque é interessante colocá-lo na dieta. Além de ser um bom tempero, o alho previne alguns tipos de cânceres, ajuda no combate a diabetes e radicais livres, possui ação antifúngicas, reduz inflamações e dores pelo corpo.

Entre as propriedades conhecidas e estudadas do alho, temos a alicina, um composto que ajuda na prevenção e no tratamento de doenças. Com a fama de medicamento, o alho é vendido em capsulas como remédio fitoterápico em algumas drogarias e em forma de chá. Embora o alho seja usado comumente para resfriados e problemas de pressão, é necessário cuidado e precaução. “É importante saber que esses medicamentos e o chá a base de alho são cooperativos e não soluções finais, ainda é necessário consultar um médico e tomar medicação prescrita, se for o caso” explica Sergio Cortes “o uso do alho como remédio pode ser um complemento ao tratamento, mas não como remédio principal”.

Além da alicina, o alho tem o ajoene, um poderoso composto que possui capacidades anticoagulantes e antimicrobianas. O Dr. Sergio Cortes lembra que o ajoene é um antioxidante natural e que também ajuda na prevenção de doenças cardiovasculares, AVC’s e outras doenças cerebrovasculares.

A ação anticoagulante do alho merece atenção. Não é recomendado o uso exagerado do alho, principalmente para pessoas que tomam algum remédio que já tem essa função ou aqueles que farão alguma cirurgia. Não há uma quantidade ideal de consumo de alho regulamentada no Brasil, o consumo deve ser controlado e com bom senso, destaca Sergio Cortes.

O Dr. Sergio Cortes lembra também que o alho possui vitamina C que é comumente conhecida por prevenir gripes e resfriados. Há estudos que demonstram que a vitamina C combate ao câncer de cólon, assim como o Selênio que também está presente no alho.

O alho é rico em piridoxina, também conhecida como vitamina B16, que auxilia no metabolismo de gorduras e de proteínas.

O melhor consumo do alho é na forma pura, recomenda Sergio Cortes, pois não há perda de nenhuma propriedade. O alho puro pode ser misturado a maioneses e molhos, assim, seu sabor forte pode ser minimizado pelos demais ingredientes. O alho aquecido de qualquer forma, tanto frito, cozido, refogado ou assado, perde um pouco de suas propriedades, mas continua recomendável por seu sabor e que pode ser usado para diminuir a quantidade de sal nas receitas.

Sergio Cortes alerta sobre os efeitos do stress no trabalho e apresenta soluções práticas.

Pesquisa feita pela ISMA – International Stress Management Association estima que 70% da população já tiveram sintomas relacionados ao stress associado ao ambiente de trabalho. Os dados são preocupantes, por isso, Sergio Cortes, médico doutor especialista, alerta sobre os efeitos que o stress no trabalho pode causar na vida das pessoas.
É cada vez mais habitual o número de pessoas economicamente ativas apresentarem sintomas de stress no mundo. E isso tem ocorrido principalmente no ambiente de trabalho onde a pressão por prazos curtos de entrega de tarefas e exigências por resultados rápidos e significativos na empresa acontece no dia a dia.

Sergio Cortes esclarece ainda que a pesquisa supra citada também identifica que os executivos são os maiores alvos de apresentarem sintomas de stress no trabalho. Na verdade, eles já se encontram no limite do stress, passando por sérios problemas físicos, psicológicos e mentais. É preciso refrear o ritmo no trabalho e procurar formas de se prevenir antes que ele tome conta completamente o indivíduo, comenta Sergio Cortes.

Stress no trabalho atinge mais mulheres que homens.

Um dado bastante surpreso é a questão de que o stress no trabalho tem atingido mais mulheres que homens, diz Sergio Cortes. Apesar de eles sofrerem uma exigência maior da sociedade em suprir as necessidades do lar e por isso, precisam trabalhar redobrados, são as mulheres que estão apresentando o maior índice no mundo.
Sergio Cortes informa ainda que um estudo sueco analisou 12.000 trabalhadores ao longo de 5 anos constatando que cerca de 75% das mulheres foram afastadas por licença médica ao serem acometidas por problemas psiquiátricos. E tudo isso proveniente do stress e da falta de alguns cuidados, como a prática de exercícios físicos constantes, a fim de que não possa chegar ao nível tão alto como a de sofrer doenças mentais prejudicando o seu desempenho, bem estar e relacionamentos afetivos.

Os riscos maiores em que levam os trabalhadores a terem que solicitar licença médica por causa de problemas mentais são:

• Estilo de vida muito stressante;
• Os que possuem o hábito de fumar;
• Sofrem exigências pesadas no trabalho;
• Possuem pouco apoio social.

Esses riscos, comenta Sergio Cortês, foram diagnosticados neste mês de agosto segundo um estudo publicado em um dos melhores jornais periódicos dos E.U.A., situado em Chicago, o Journal of Occupational and Environmental Medicine. Esse jornal funciona como um guia completo de investigação científica feita para pesquisadores, especialistas, médicos, enfermeiros a fim de obterem técnicas, ideias, pesquisas, estudos abordando todo o tipo de assunto relacionado ao local de trabalho associando a usufruir de uma boa saúde.

Uma das realizadoras dessa pesquisa realizada pelo Instituto Karolinska na Suécia, Lisa Mater, aconselha que uma das propostas que devem ser submetidas a fim de evitar e diminuir o aumento de licença médica oriundas de problemas mentais é reduzir a alta exigência que as empresas colocam nos profissionais em seu ambiente de trabalho.

É preciso que a empresa colabore para que isso possa ser devidamente banado, e não apenas diminuído visto que prejudica tanto a empresa como o profissional que tem que ausentar por um período indeterminado. Também é importante incentivar o profissional a praticar atividade física regularmente e ter uma vida social saudável, é o que alerta Sergio Cortês.

Stress no trabalho é um fator incisivo para sentir constantes enxaquecas .

Muitas pesquisas foram realizadas, diz Sergio Cortês, tentando descobrir e afirmar se o stress no trabalho teria alguma associação causando no indivíduo constantes dores de cabeça, porém nada era concretizado especificamente para esse cenário, o que levava a fontes e dados imprecisos sobre tal fator.

Um estudo mais aprofundado, informa Sergio Cortes, realizado pela Universidade de São Paulo (USP) divulgada na edição de julho no periódico European Journal of Pain, constatou e comprovou que stress no trabalho, principalmente, aquela profissões onde há maior exigência e também os locais ruins para se realizar tarefas são os causadores e influenciadores para sentir constantes enxaquecas.

Sergio Cortês informa as conclusões após o estudo realizado, são estes:

• Relação de enxaqueca e stress no trabalho ocorre mais em mulheres que homens;
• Sofrer de enxaqueca leva a ter trabalhos mais exigentes;
• Tarefas a entregar em um curto período de tempo ou que se exige muito esforço para concluir tem maior probabilidade das pessoas sofrerem de constantes enxaquecas ocasionando stress alto no trabalho;
• Participantes que sofriam de enxaqueca ou que pelo menos teve uma crise no ano anterior apresentavam mais stress no trabalho que aqueles que não tinham esse problema.

É importante que se tenha uma vida mais saudável em meio às turbulências vividas no ambiente de trabalho, sugere Sergio Cortes. Para isso, a enxaqueca deve ser tratada o quanto antes para que não prejudique o desempenho do profissional. Algumas atitudes podem ser feitas como:

• Identificar a causa que está gerando a enxaqueca e tomar medidas para evitá-la;
• Diminua o ritmo acelerado com atividades que promovam bom humor, bem estar;
• Pratique exercícios físicos e tente dormir ao menos 8h por dia. O bom sono é fundamental para eliminar a dor de cabeça;
• Consumir café, mas sem exageros;
• Procure um especialista no assunto.

Diante do que foi exposto cuidar da saúde física, mental e emocional é de suma importância para que o stress no trabalho não atinja seu ponto máximo ocasionando problemas psíquicos e consequentemente, tendo que se afastar do emprego.

A fim de que isso possa ser evitado, Sergio Cortes fornece algumas soluções preventivas que, se seguidas, podem trazer excelentes benefícios para o profissional. Confira mais detalhes a seguir.

Soluções preventivas para evitar stress no trabalho.

Buscar formas e boas estratégias a fim de que o stress no trabalho não atinja um grau ainda maior é o que muitos profissionais podem fazer. O stress no trabalho vai além de um simples diagnóstico, ele pode matar literalmente uma pessoa, alerta Sergio Cortês.

Isso porque o corpo quando libera excessivamente os hormônios como o cortisol e adrenalina desencadeiam sérios problemas, segundo Mara Fernandes Maranhão, psiquiatra do Hospital Albert Einstein de São Paulo, e são estes:

• Aumento da pressão arterial e frequência cardíaca;
• Reduz a imunidade;
• Aguça e aumenta o apetite;
• Há um acúmulo agravante de gordura na região abdominal.

Ainda bem que é possível evitar o stress no trabalho com soluções práticas, por isso, leia abaixo algumas medidas que podem ser tomadas protegendo seu corpo, mente e coração:

Soluções práticas para evitar e tratar o stress no trabalho.

  • Tente descobrir e identificar o que está causando o stress. Sabendo disso, é possível agir contra ele realizando outras formas de atitudes;
  • Não despreze os sinais que o corpo demonstra como: cansaço, desânimo desproporcional, irritabilidade, grosseria, depressão, falta de memória, e outros;
  • Distribua as tarefas e não leve o mundo nas costas. Saiba ser flexível e não seja um tanto perfeccionista exigindo muito de si mesmo e dos outros;
  • Os problemas devem ser compartilhados e não guardados para si. Comunique-se, pois isso alivia a carga e traz apoio da gestão para as tarefas mais complicadas;
  • Antes de aceitar o emprego e a função que exercerá na empresa, avalie os prós e contra. Conhecendo bem as tarefas que realizará e as características do trabalho irá evitar que se frustre e que acenda e eleve algum tipo de expectativa;
  • Focalizar apenas no trabalho não é o caminho mais correto, mesmo que se tenha muito prazer nele. É fundamental ter outros momentos para se divertir como saída com amigos, fazer um curso que não tenha nada a ver com o trabalho, praticar algo que goste como dança, ir ao cinema, teatro, etc;
  •  Tenha uma rica alimentação fortalecendo o seu sistema imunológico. Hábitos alimentares com ingestão de zinco como amêndoas e vitamina C são ótimos para esse fim;
  • Dormir, talvez seja, a melhor maneira de evitar stress no trabalho. É importante ter um sono agradável e de pelo menos 8h por dia. Se você demorar muito para dormir, tente ler um livro ou assistir TV, ou ainda ouvir uma música lenta e tranquila;
  • Pratique caminhada e comece aos poucos. A recomendação é de 30 minutos e também uma simples caminhada para o trabalho ou do trabalho para o restaurante já é de bom tamanho;
  • Caso a situação seja agravante ou esteja no início, procure a ajuda profissional especializada nesse assunto.

Como abordado acima, o stress no trabalho traz consequências agravantes para o ser humano. Não esperar que se atinja um índice alto é a primeira atitude que se deve tomar, pois quanto mais cedo tratar, melhor recuperação o profissional terá, alerta Sergio Cortes.
A vida no âmbito do trabalho deve causar satisfação interior e ser levada de maneira saudável, assim como todos os setores em que se vivencia diariamente. É muito necessário ter o equilíbrio entre todos esses setores para que nenhum se prejudique.

As empresas podem colaborar muito para que esses índices de stress no trabalho possam diminuir e até serem eliminadas. O bom diálogo entre a equipe pode resolver e muito a situação e fazer com que o profissional desempenhe suas funções de maneira equilibrada e com bons resultados, ainda aconselha Sergio Cortês.

 

Conheça o lado positivo e negativo da farinha de linhaça com o doutor Sergio Cortes.

O médico e especialista Sergio Cortes fala sobre os pontos positivos e negativos da Farinha de Linhaça, que nada mais é que a semente do Linho em pó.

Com registro histórico datado em mais de 5 mil anos a.C, estas sementes estão cada vez mais ganhando ascensão já que atualmente estão presentes nas mais diversas dietas.

Por ser considerado um alimento funcional, pois é rico em fibras e proteínas, mostra evidentemente os benefícios trazidos ao organismo, tanto as sementes marrons vindas do Mediterrâneo e as douradas vindas do Canadá.

O médico especialista Sergio Cortes explica quais são esses benefícios encontrados na farinha de Linhaça que é facilmente encontrada em empórios de produtos naturais e supermercados.

A linhaça é um alimento muito completo, é altamente recomendada para pessoas que buscam uma dieta mais saudável. Ela age no organismo fazendo o bom colesterol aumentar, que é o HDL e enquanto diminuí o colesterol LDL que faz mal a saúde. Sergio Cortes ainda completa. A composição da linhaça esta cheia de componentes essências para a saúde das pessoas, por exemplo, além de conter ferro, zinco, fósforo e cálcio a medicina mostra que ela não somente é uma semente, mas age dentre os mais diversos males que o corpo está exposto como alergias em alguns casos, prevenção em casos de câncer, redução do envelhecimento que é um dos mais conhecidos benéficos da semente.

Médico Sergio Cortes aponta também quais são os lados negativos da linhaça.

A linhaça é um alimento altamente rico em fibras, por se tratar dessa numerosa quantidade que ela dispõe o uso excessivo da farinha ou até mesmo ser for consumido de modo errado, o efeito esperado poderá facilmente se reverter a sérios problemas no intestino. O especialista Sergio Cortes explica quando a linhaça vira vilão da saúde. Primeiramente fique de olho na rotulação da embalagem do produto, recentemente lotes de linhaça dourada de uma marca foram retirados de vários comércios por causa da rotulação do produto. Existem contraindicações para consumir a linhaça, por essa razão devemos nos informar com um médico antes do consumo da farinha. Por exemplo, pessoas que são doentes de Esclerose Sistêmica devem saber que a farinha de linhaça contem componentes que fazem a obstrução intestinal. Se a página a pessoa esta ingerindo algum medicamento não deve tomar a farinha de linhaça, pois a mesma interfere na absorção do remédio diminuído consideravelmente a função a qual ele foi designado.

Na verdade a linhaça como outros produtos naturais trarão a pessoa que tomá-la muitos benefícios, mas a informação de como toma-los é que fará ser um aliado no combate de muitos males, do que talvez um problema muito maior. Se souber como aproveitar o melhor da farinha de Linhaça, os benefícios à saúde estarão presentes como na diminuição de risco de câncer, diminuição no acidente vascular cerebral o AVC, diminuição nas ondas de calor muito frequentemente presente no período da menopausa da mulher. Entre muitos outros proveitos que podem vir da Farinha de Linhaça. Específica o especialista no assunto doutor Sergio Cortes.